sexta-feira, 19 de agosto de 2011

CONTORNA...

Minha silhueta do corpo com as conchas
As que encontrar no mar, uma a uma
Adornar e desperta todas aquelas ondas

O calor da língua  o arrepio areia sinto
Suspiros desejo revelado neste retrato
Deixo as tuas mãos o que já não minto

Constrói  aqui então a tua  moradia!

Nestas formas, as sensaçãos, as linhas!

2 comentários:

  1. Que poema lindo amiga. Adorei, uma verdadeira pérola. Parabéns!

    ResponderExcluir